Sobre o autor

    Meu nome é Alexei Bueno, sou formado em Sistemas de Informação e pós-graduado em Tecnologia em Desenvolvimento de Sistemas, área esta da tecnologia que sempre me atraiu e que e que me ocupei alguns anos de trabalhos em empresas de desenvolvimento de software e programação de sites. Tempos depois também vim a descobrir outra atividade que gosto muito de fazer: ministrar aulas. Engajei então no trabalho de capacitar e treinar pessoas na ciência da informática, ofício este que inicialmente desempenhava em empresas privadas, porém após prestar e ser aprovado em concurso público passei a atuar em escola técnica estadual nos cursos de Técnico em Informática e Técnico em Informática para Internet, o que me proporcionou a oportunidade de concluir recentemente um curso de Licenciatura onde aprendi mais adequadamente a responsabilidade que é exercer a pedagogia.

Agora falando um pouco sobre meu interesse pela espiritualidade isto é algo que surgiu desde muito cedo, algo por volta dos dez anos, como uma grande curiosidade em saber o que existe ou acontece após a morte do corpo físico, porém na época não imaginava que aproximadamente dez anos mais tarde estaria por conta própria explorando e estudando e vivenciando as experiências fora do corpo.

Quando criança participava inicialmente de um centro espírita e posteriormente de uma doutrina espiritualista chamada “Racionalismo Cristão”, doutrina esta frequentada pelos meus pais e ainda hoje pela minha mãe, que é médium.

Anos mais tarde, algo por volta dos dezesseis anos, conheci o Espiritismo, através da leitura do livro base desta doutrina filosófico-religiosa e científica chamado “O Livro dos Espíritos”, seguido de outros como “Nosso Lar” de Chico Xavier entre outros romances espíritas. Praticamente paralelamente nesta época iniciei minhas leituras teosóficas, sendo que também fui sócio da Sociedade Teosófica. Lembro que praticamente devorei todos os livros escritos por C.W. Leadbeater e alguns de outros autores também da Sociedade Teosófica.

Interessante a questão de que apesar do Espiritismo e da Teosofia se divergirem em alguns pontos, sempre buscava a síntese de ambas doutrinas e desta forma tentava praticar o universalismo, ou seja, ler de tudo sempre buscando pontos positivos a serem assimilados.

Houve uma época em que conheci um movimento esotérico do qual não me simpatizei, porém a experiência desta vivência, que durou algo como um ano, muito me ensinou com relação aos extremos, observando de perto a questão do fanatismo filosófico e religioso. Penso que mesmo em uma experiência que interpretamos como ruim devemos tirar lições e aprendizados de maneira que pensando desta forma nada, realmente nada, é perdido.

Aos 19 anos, certa noite que seria mais uma dentre milhares de noite de sono obtive involuntariamente minha primeira experiência extracorpórea, certamente “patrocinada” por amigos espirituais. Naquela época pouco sabia especificamente sobre Viagem Astral ou Projeção da Consciência, com exceção do que havia lido nos livros de Leadbeater. O que me assustou na época foi a repetição involuntária durante várias noites de sono da mesma experiências de saída consciente do corpo durante o sono, que eram sempre acompanhada com características sensações energéticas como “sons intracraniano” e também o conhecido “estado vibracional” que são vibrações que percorrem nossos corpos sutis no momento da saída do corpo.

Por volta desta época e até os dias de hoje, contando com 32 anos, passei a ler livros e a pesquisar na Internet tudo que tratava da temática da viagem astral, chegando inclusive em 2002 a fazer a primeira parte de um curso de Viagem Astral ministrado em São Paulo pelo Prof. Wagner Borges, que em minha opinião é um dos maiores pesquisadores e divulgadores deste assunto e da espiritualidade no Brasil. Em minhas pesquisas na Internet conheci outras pessoas que gostavam da temática da Viagem Astral, assim como diversos institutos de pesquisas.

No Instituto de Pesquisas Projeciológicas e Bioenergéticas de Wagner Borges (IPPB – www.ippb.org.br) adquiri um livro chamado “Sana Khan – um mestre no além”, escrito por Luiz Roberto Mattos e praticamente também devorei este livro, que tratava de vários assuntos relacionados com espiritualidade sob o pano de fundo das experiências fora do corpo, um dos primeiros que li sobre o tema.

Por meio da Internet consegui entrar em contato com o autor e a partir de então por volta de 2004 surgiu uma parceria no desenvolvimento de um website (www.mestresanakhan.com.br) no qual fiquei responsável com a parte técnica e Luiz com o conteúdo e divulgação de seus livros, inclusive contando com uma área para download gratuito dos mesmos.

Mais recentemente visitei o IIPC, Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciosogia (www.iipc.org). Estive no campus do CAEC, Centro de Altos Estudos Conscienciais (www.ceaec.org) e tenho lido alguns dos livros de Waldo Vieira.

Atualmente meu posicionamento com relação as temáticas espirituais é por meio de um caminho eclético, ou seja, universalista, que não penda para doutrina alguma, de maneira que atualmente garimpo o que há de interessante e que seja bom a mim em todas as doutrinas, religiões e filosofia. Buscando desta forma o “caminho do meio”, caminho este que tem por meta o entendimento da unidade que existe por toda a aparente diversidade. Me sinto e sou livre para pesquisar de tudo e alçar voos na espiritualidade, me esforçando em reduzir meus defeitos (que não são poucos) e aumentar minhas qualidades. Esta é minha meta e minha atual forma de ser.

Tenho a intenção de escrevendo estes textos divulgar meus pensamentos e pesquisas no que tenho aprendido e vivenciado com as experiências fora do corpo ou viagem astral de forma a estar também divulgando e desmistificando o assunto.
Muita paz,

O autor.