Projeção astral no Antigo Egito

Não há “donos” do fenômeno das experiências fora do corpo. A prova listo está na História, que confirma a universalidade do mesmo através de registro dos mais diversos povos.

Até mesmo no Antigo Egito, entre 3 mil e 5 mil anos atrás, há registros da saída de um corpo sutil do corpo físico e seu posterior retorno com lembrança da experiência.

Estes fatos vem a comprovar que esta vivência independe de cultura, condição socioeconômica, gênero, idioma, nacionalidade, idade, religião ou sistema de crença.

Naquela época havia o conceito do “Ka”, que seria o Corpo Astral ou “O Duplo”. Na imagem abaixo vemos a simbologia do Ka, voando acima de um corpo, segurando algo como uma lanterna que representa para nós o “cordão de prata”.

ka

Naturalmente que para aquele povo os ensinamentos relacionados com a projeção astral eram reservados apenas para poucos eleitos. Eles realizavam a projeção astral em rituais iniciáticos de modo que a pessoa iniciada nos mistérios poderia por conta própria vivenciar o mundo espiritual e comprovar sua própria imortalidade.

Hoje em dia não há mais o mistério, o fenômeno é conhecido por todos, está na mídia, na internet, no cinema, nos diversos institutos de pesquisa e até mesmo na medicina através dos relatos de experiências de quase morte.

O filósofo britânico Paul Brunton em seu maravilhoso livro “O Egito Secreto” (super recomendo a leitura) relata uma incrível experiência projetiva que vivenciou ao passar uma noite dentro da grande pirâmide do Egito!

egito_secreto

Curioso notar que ainda nos tempos atuais há Amparadores e todo um pessoal extrafísico nos bastidores espirituais das pirâmides.

É ou não é uma bonita paisagem, que ainda atiça nossa imaginação no que ocorria por lá no se refere à projeção astral:

piramide_egito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *