Voar em projeção astral… Tem coisa melhor?

Aos dezenove anos comecei a ter projeções astrais involuntárias, que ocorriam no momento em que eu ia dormir. Também realizei algumas experiências durante o dia, com finalidade de comprovar para mim mesmo o fenômeno – e devo dizer que obtive sucesso.

Durante a grande maioria de minhas projeções eu nunca havia andado de avião, asa delta, pulado paraquedas, ou seja, nunca sai do solo, de modo que não havia em meu cérebro registro algum de sensação de voo, de leveza etc. Mas desde minha primeira projeção lúcida sempre foi muito constante e real sensação de flutuar, assim como ocorre com os astronautas em órbita da Terra.

Com o passar do tempo rapidamente descobri que é realmente muito agradável a sensação de volitar! Então toda vez que me percebia lúcido fora do corpo já dava um impulso e saia voando, dando piruetas no ar, fazendo acrobacias e algumas vezes voando bem alto a ponto de observar as cidades muito pequeninas. Na maioria das vezes eram voos noturnos e em minha comprovação pessoal durante o dia pude observar as nuvens bem de perto. É a melhor sensação do mundo! Não há liberdade maior do que o voo extrafísico… A projeção astral é realmente o “recreio da alma”, semelhante a todo presidiário que tem duas horas de “banho de sol”, temos oito horas de temporária liberdade metafísica.

Sempre fiquei surpreso ao notar que a gravidade não tem ação enquanto fora do corpo, mesmo nas projeções em que eu estava na minha cidade, visualizando, portanto, o plano físico. Isto me leva a crer que mesmo quando estamos numa frequência bem próxima ao corpo físico a ponto de ver seu quarto, sua casa, sua cidade, você na realidade não está no plano físico, já que podemos também atravessar paredes, conforme eu mesmo pude verificar.

Hoje faço uma associação com alguns temas culturais, algumas histórias infantis ou do imaginário popular, tais como a história das bruxas, que voam em uma vassoura:

bruxa_voando

Também temos o tapete mágico (ou voador), lendário das histórias das Mil e Uma Noites:

tapete_voador

Até mesmo super-heróis exibem esta habilidade de vencer a força gravitacional, tal como o super-homem:

super-homem

Nosso imaginário (ou inconsciente coletivo?) está recheado da imagem do ser humano voando, imagem esta que se torna realidade nas experiências fora do corpo já que neste estado, conforme comentei, não estamos sujeitos as leis do plano físico, estaremos sim sujeito a leis não-físicas de maneira a por exemplo verificarmos que o pensamento pode mais facilmente influenciar o ambiente ou mesmo permitir fácil comunicação.

Então chega o dia em que a empresa na qual trabalhava nos requisitou em São Paulo e para tanto forneceu viagem de avião para a equipe. Estava eu com o pensamento a mil, no que se refere ao trabalho que iria realizar no computador do cliente e principalmente impressionado com a minha primeira viagem de avião…

Para minha surpresa quando o avião realizou a primeira manobra após a decolagem, obtive um repentino e forte insight (ou “rapport”) e me lembrei – como que em um flash de memória – de minhas sensações de voo enquanto fora do corpo! Esbocei então um leve sorriso, pois obtinha naquele instante de certa maneira uma sutil verificação pessoal de meus voos extrafísicos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *