Minha 1º experiência de Viagem Astral: uma traumatizante experiência fora do corpo involuntária, ocorrida durante o sono

viagem_astral-1    Não me lembro o dia que ocorreu esta primeira experiência extrafísica, mas foi provavelmente no começo deste ano de 2000, talvez em janeiro ou fevereiro.
Sei que era em uma noite de Sábado para domingo…

Por volta provavelmente das 11h00 fui deitar, normalmente, como sempre fiz e de pois de algum tempo percebi que eu não conseguia dormir como de costume, ou melhor dizendo não estava conseguindo “apagar” ou ficar inconsciente, pois no meu ponto de vista isto era dormir – virava de um lado para o outro na cama – sabia que algo estava errado comigo pois nunca obtive problemas como insônia, não sabia e não sei (pensamentos do ano de 2000) explicar ao certo o que poderia ser.

Depois de algum tempo eu tinha a sensação de que minha mente estava trabalhando mais rápido do que o normal – uma sensação até um pouco desagradável, como se eu estivesse tentando resolver um problema muito difícil de matemática – parece que de certa forma eu estava muito agitado mentalmente e apesar de estar imóvel e deitado estava ficando um tanto quanto cansado mentalmente. Estava é claro plenamente consciente e até me questionava o por quê daquilo, que nunca havia acontecido comigo antes no momento de dormir.

Em determinado momento enquanto estava em total consciência de mim comecei a escutar um som que era como se fosse de milhares de pequenos sinos que estivessem tocando. Gradativamente este som foi aumentando de volume, aumentando e percebi que eu tinha então a sensação de estar saindo do corpo, na realidade parece que eu estava deslocando para o lado e para acima de meu corpo. Pensei então que eu que iria cair da cama (pois sentia que estava além do limite dos limites da cama), parece que não sentia o peso de roupas sobre o corpo como sentimos normalmente.

Ao que parece meu corpo físico realmente dormiu, mas eu, ou seja, minha consciência manteve-se desperta, vivenciando algo como uma experiência extracorpórea.

Quanto ao som, cheguei pensar que iria ficar surdo pois estava muito alto. Foi quando observei que tudo estava azul, parecia que estava olhando para baixo e tinha um fundo azul e neste fundo azul observei várias “luzinhas” que pareciam ser como estrelas piscando, tinha várias delas mesmo e eu com total consciência ficava me questionando e cheguei até a pensar: “talvez este som venha destas luzinhas…” e também “será esta a sensação sentida por alguém que está morrendo?” … “será que eu estou morrendo?”.

Neste momento certamente entrei em pânico, pois parece que não estava me sentido bem e queria imediatamente voltar para meu corpo, mas sentia dificuldade em “acordar”. Como havia lido um livro de hipnotismo por entre aqueles dias, tive uma ideia e foi quando eu pensei com toda convicção: “agora eu vou contar até 3 e no três quero voltar para meu corpo” e comecei a contar quanto a contagem chegou no três, senti que comecei realmente a voltar para meu corpo pois o som foi gradativamente diminuindo, porém não voltei instantaneamente e sim de forma lenta e com uma certa dificuldade confesso, segundos estes que me pareciam séculos. Finalmente “acordei” no meu corpo físico. Não sei bem explicar o que houve comigo nesta noite. Sei que a única coisa que pensava naquele momento era que eu nunca mais queria passar por esta situação outra vez, pois achei que foi muito desagradável, principalmente por causa daquele som estarrecedor, praticamente orei pedindo que tal acontecimento nunca mais me ocorresse durante o sono, mas mal sabia que a partir daquele dia vivenciaria centenas de experiência semelhantes que mudaria a forma de encarar a espiritualidade a partir de então.

Finalizando este relato, após retornar ao corpo fiquei um tempo acordado e depois voltei a dormir de forma totalmente inconsciente. No princípio não contei esta experiência para ninguém e muito menos pesava em registra-la, por ser algo bem diferente do considerado normal em uma noite de sono, mas uma certeza eu tinha: não foi um sonho.

Comentário: o Estado Vibracional (ou EV)

    Cabe aqui uma explicação com relação ao conhecido “Estado Vibracional” ou simplesmente EV, muito comum nos relatos projetivos, ocorrendo imediatamente antes de nossa projeção consciente para fora do corpo físico ou também após nossa “reentrada” ao corpo, no momento de despertar.
    Sabemos hoje que tudo é energia, variando apenas os graus de densidade da mesma. Matéria é energia extremamente condensada, enquanto que esta mesma energia existe em frequências mais sutis como por exemplo a eletromagnética, que por ser tão sutil é inclusive capaz de “atravessar” a matéria percebida por nós normalmente como densa.
    Com nossos corpos (digo no plural pois o corpo físico é apenas um entre outros que temos) também são constituídos de matéria e portanto de energia nos mais diversos graus de frequência, digamos assim.
    O corpo físico é constituído de matéria densa, matéria sólida, liquida e gasosa e interpenetrando a todos os átomos de nosso corpo físico porém em uma frequência muito superior do que podemos captar pelos atuais instrumentos científicos há o corpo astral ou períspirito dos espíritas, que é o corpo que utilizamos para atuarmos nos planos espirituais.
    Quando deitamos para dormir ocorre um relaxamento físico, mental e com isso propicia-se uma soltura espiritual dos laços magnéticos-espirituais que nos prende juntamente com nosso corpo astral ao físico. A nossa separação ou projeção juntamente com o corpo astral para fora do corpo físico é o que chamados de Projeção da Consciência ou Viagem Astral.
    Nos momentos de vigília nos quais estamos atuando no corpo físico nosso corpo astral estará com sua vibração em uma frequência tal que permita uma maior aproximação com as lentas vibrações da matéria física de nosso corpo físico de modo que o mesmo sincronizado com as densas vibrações da matéria do corpo físico de modo que possa ocorrer uma em perfeita sincronicidade e união dentre partículas físicas e espirituais e juntos então atuamos no corpo físico e naturalmente no plano físico.
    Quando estamos com nossas sensibilidade, ou seja, sentidos despertos no momento imediatamente antes da projeção da consciência, durante o sono por exemplo, podemos perceber o exato momento no qual as partículas de nosso corpo astral trocam de frequência, acelerando sua vibração ao ponto de que há uma total descoincidência de frequências entre corpo físico e espiritual de modo que por um processo que gosto de comparar a uma resonância ocorre uma projeção nossa juntamente com nossos corpos espirituais para fora do corpo físico, justamente pelo fato de que as frequências de ambos os corpos não estão “em fase”, pelo motivo do relaxamento físico ou sono.
    A percepção desta mudança de frequência ou velocidade de vibração das partículas do corpo astral é conhecido como “estado vibracional” e causa sensações naturais de som ou como se estivéssemos levando um choque (indolor) por todo o corpo.
    Muitas pessoas relatam ondas de energias em movimentos de vai e vem por todo o corpo acompanhado por forte som no interior de suas mentes neste momento.
    Caso você amigo leitor venha experimentar estas sensações durante a madrugada, durante o sono, não se preocupe pois é algo absolutamente natural, tão natural como o ato de respirar. Mantenha a calma e você poderá em momentos se sentir flutuando para fora do corpo e muito comumente vivenciar uma viagem astral.
    Logo ao afastarmos do corpo físico o som e as vibrações cessão pois não há mais a questão da percepção de mudança energética e ressonância pelo fato de que já nos encontraremos “adaptados” a frequência do corpo astral e provalmente projetados para fora do plano físico.
    Ao retornarmos ao corpo físico o processo inverso ocorre, ou seja, temos que baixar as vibrações de nossos corpos espirituais a fim de sincronizarmos nossas energias e frequência a densa velocidade das vibrações física da matéria do nosso corpo físico, ajuste este repito natural, muitas vezes instantâneo, podendo vir ou não acompanhados com a sensação do estado vibracional, conforme o fator de nossa percepção no momento, pessoalmente percebo o estado vibracional muito mais no momento imediatamente antes da saída consciente do corpo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *